777 slots - GM afirma que CARROS ELÉTRICOS são ESSENCIAIS no Brasil; entenda o motivo

A General Motors (GM) afirma que os carros elétricos são essenciais não somente para o futuro do planeta, como também para a indústria automotiva brasileiro. Na visão da montadora, o Brasil tem potencial para se transformar em polo de produção e exportação de tecnologias e de veículos elétricos produzidos localmente. Lembrando que a GM está presente no País por meio da marca Chevrolet.

Entenda por que a GM considera os carros elétricos essenciais

GM afirma que CARROS ELÉTRICOS são ESSENCIAIS no Brasil
Carro elétrico é também essecial para o Brasil, na visão da General Motors (Foto: Freepik)

Relatório recente da Organização das Nações Unidas (ONU) apontou que o aquecimento global é mais alarmante do que se imaginava. Reflexo disso são eventos climáticos extremos cada vez mais frequentes. Diante da urgência de medidas para a descarbonização do planeta, diversos países estão estabelecendo ações de contenção, como uma data limite para o comércio de veículos à combustão já nas próximas décadas.

Entre os grandes mercados de automóveis, o Brasil se destaca pela baixa emissão de gás carbônico (CO2) pelo setor de transporte, que tem o etanol como alternativa à gasolina. O combustível vegetal representa hoje aproximadamente 30% da escolha do consumidor no abastecimento de veículos flex no País.

VEJA TAMBÉM

“Apesar da notabilidade do papel do etanol, o Brasil não pode deixar de buscar alternativas mais eficientes, como o carro elétrico, o único que não emite gás carbônico ou poluentes por onde roda. Por isso nem escapamento tem”, ressalta Elbi Kremer, diretor de Engenharia e Planejamento de Produto da GM América do Sul.

Para especialistas, a melhor maneira de calcular a emissão de CO2 de um automóvel na atmosfera é somando o que ele emite durante o seu uso mais o impacto que a produção do seu combustível provoca no meio ambiente. É a famosa equação do poço à roda, cujo parâmetros variam de mercado para mercado, de acordo com a matriz energética.

Por isso a emissão de um veículo elétrico num país no qual a matriz energética está baseada na queima de carvão mineral ou de outros combustíveis fosseis vai ser bem diferente da emissão de um veículo elétrico (EV) utilizado no Brasil, que tem hoje 86% de energia elétrica vinda de fonte renovável, hidroelétricas, parques solares e eólicos.

Encomendada pelo Ministério de Desenvolvimento Indústria e Comércio (MDIC), a metodologia de cálculo do poço à roda no Brasil foi desenvolvida por técnicos da indústria, governo, fornecedores e acadêmicos. Ela considera a intensidade de carbono da matriz energética nacional e os cálculos de eficiência energética dos veículos do Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBVE) do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

Assim, um EV, em média, 50% mais sustentável que um híbrido flex abastecido somente com etanol e quase dez vezes mais sustentável que um carro tradicional movido apenas a gasolina.

GM afirma que CARROS ELÉTRICOS são ESSENCIAIS no Brasil
Chevrolet Bolt EUV chegou ao mercado brasileiro neste ano (Foto: Divulgação/GM)

“Pela perspectiva da convergência global e potencial futuro de exportação da indústria nacional é indiscutível que o EV é a melhor solução”, afirma Kremer. De acordo com o executivo, o etanol ainda pode ser aproveitado futuramente, de forma estratégica, para a produção de hidrogênio verde, por exemplo.

É consenso que não existe apenas uma solução à questão da descarbonização. Por isso, a GM afirma que continuará investindo em tecnologias para reduzir a emissão dos seus veículos a combustão e ampliando sua linha de EVs no Brasil.

Segundo a empresa, a América do Sul apresenta a vantagem competitiva de possuir grandes reservas de matérias-primas essenciais para a produção de baterias. “Outro fator estratégico é o talento da engenharia local, referência global no desenvolvimento de veículos de sucesso”, afirma. A região conta ainda com um amplo parque industrial e um grande mercado consumidor em potencial.

“Para aproveitar esta janela de oportunidade mundial, o País precisa estabelecer regras claras e políticas públicas de fomento que permitam a adoção em massa dos EVs e, consequentemente, a sua industrialização”, conclama a GM.

Recentemente, a montadora lançou no Brasil o SUV elétrico Chevrolet Bolt.

Paulo Silveira Lima
Paulo Silveira LimaJornalista com 20 anos de experiência profissional como repórter nas principais redações de jornais do Brasil, como Gazeta Mercantil, Folha SP, Estadão e Jornal do Brasil e em cargos de coordenação, edição e direção. Formado em Jornalismo pela Caśper Líbero.
ASSISTA AGORA
Veja mais ›
777 slots - GM afirma que CARROS ELÉTRICOS são ESSENCIAIS no Brasil; entenda o motivo